Sites Grátis no Comunidades.net
Atos 20:7-12
Atos 20:7-12

Atos 20.7-12: Êutico Ressurge de entre os Mortos em Trôade 

 

Há um marcante contraste entre as parcas informações da seção anterior e a abundância de minúcias que caracteriza o relato do resto da viagem, agora que se reiniciam as passagens na primeira pessoa do plural. Nesta seção temos até a inclusão de todo um "culto ao Senhor" em Trôade.

20:7 /Na véspera da partida dos delegados de Trôade para Jerusalém, eles se reuniram com os crentes da cidade para a realização de um "culto". Lucas nos permite um relance daquilo que talvez fosse um culto típico dos cristãos dos primeiros dias da igreja. Em primeiro lugar eles tinham o propósito de partir o pão. Devemos talvez interpretar essa expressão à luz do v. 11, onde os melhores manuscritos trazem o artigo definido na frase, "tendo partido o pão". Portanto, -a referência deve ser à ceia do Senhor (veja a disc. sobre 2:42), e o sentido total do que estavam fazendo se expressa em 1 Coríntios 10:16. Em segundo lugar, eles se reuniam no primeiro dia da semana. Esta é uma expressão judaica, mas precisamos perguntar-nos se Lucas estava pensando em termos judaicos ou romanos ao mencionar os dias. Segundo a contagem judaica, esta teria sido uma noite de "sábado" (como nós a teríamos chamado), visto que o novo dia começava para eles ao pôr do sol, o que faz que a noite de sábado seja o início do primeiro dia da semana. Todavia, visto que Lucas se refere ao "amanhecer" como sendo "o dia seguinte" (cp. vv. 11 e 7), parece que estava usando a contagem romana, segundo a qual a meia noite e, na verdade, o nascer do sol marcavam o começo do novo dia. Neste evento, parece que a igreja havia já transformado o "domingo" em seu dia de reuniões. É claro que ainda era um dia normal de trabalho, pelo que o culto se realizou à noite (domingo à noite). Em terceiro lugar, durante a noite, Paulo pregou um sermão. Ele costumava usar o método da "dis­cussão" como o meio mais conveniente de tratar das dificuldades das pessoas (veja a disc. sobre 17:2).

20:8-10 / A sala no andar superior onde os crentes se reuniam talvez estivesse cheia de gente (veja a nota sobre 14:27), para não mencionarmos o calor gerado pela multidão, a fumaça das lamparinas e as longas horas consumidas pelo extenso sermão de Paulo. Um rapazinho chamado Êutico (o termo grego traduzido por jovem sugere que ele teria entre oito e quatorze anos de idade) foi ficando cada vez mais sonolento, assentado numa janela, até que finalmente foi tomado de um sono profundo por causa do qual caiu do terceiro andar (v. 9). É provável que o culto se realizasse num prédio enorme de apartamentos, para grande número de famílias, do tipo bastante comum nas cidades romanas, construído para abrigar os menos favorecidos. Em Roma, tais prédios erguiam-se à altura de nove a dez andares. Parece que o rapazote morreu na queda. O tratamento imediato ministrado por Paulo sugere a respiração artificial (cp. 1 Reis 17:21; 2 Reis 4:34). As palavras do apóstolo, "a sua alma nele está" (v. 10), talvez devessem ser entendidas no sentido de que a vida do menino lhe seria restaurada, embora às vezes sejam tomadas como significando que ele apenas sofrerá uma concussão e estava inconsciente. No entanto, não foi assim que Lucas viu a coisa. Ele afirma que o menino estava morto (v. 9, não "como que morto") e depois, que o levaram vivo (v. 12); as minúcias vividas da narrativa sugerem ter partido de um observador cuidadoso (p.e., havia muitas luzes, v. 8). Nesta base, Paulo se coloca na vanguarda dos operadores de milagres, ao lado de Pedro e de Jesus (cp. 9:36-41; Lucas 7:11-15; 8:49-56). É evidente que foi Jesus quem restituiu a vida ao mocinho mediante Paulo.

20:11-12 / O v. 11 pode indicar mais uma característica daqueles cultos primitivos, a saber, a refeição comunitária (ágape, ou "festa de amor"), em cujo contexto se tomava a ceia do Senhor, visto que, a respeito de Paulo, Lucas diz que "partiu o pão e comeu" ("provou"). Lucas emprega a mesma palavra aqui usada para refeições comuns (10:10; 23:14; Lucas 14:24). A única dificuldade aqui é que a refeição deveria ter ocorrido depois, em vez de antes da ceia do Senhor, como no caso de Corinto (1 Coríntios 11:17-34), presumindo-se que essa era a norma. Seja como for, Paulo continuou a falar até o amanhecer aos crentes, quando essa parte da reunião já havia terminado (v, 11). Enquan­to isso, Êutico havia sido colocado sob os cuidados de alguns membros da igreja, até o fim. Depois foi levado para casa. "Depois [Paulo]... partiu", diz Lucas, sem dúvida fazendo particular referência à restaura­ção de Êutico, a saber, Paulo os deixou como vitorioso (mediante Jesus) sobre a morte.

 

Notas Adicionais # 53

20:7 / Reunindo-se os discípulos: É palavra de uso genérico para qualquer reunião, mas como os crentes se reuniam principalmente para o culto, esse "reunindo-se os discípulos" ou synaxis veio a tornar-se palavra técnica para "culto" (cp. 4:31; 11:26; 15:6, 30; 1 Coríntios 5:4).